Receba nosso Informativo
Nome:
E-mail:
Login de Sócio
Usuário:
Senha:
Técnica Fotográfica
A fotografia em baixa velocidade Muita gente acha lindas as fotografias noturnas, as chamadas “rio de luz”, imagens onde a luz toma vida e cores incríveis. Na verdade é um tipo de fotografia simples e gostoso de fazer. Que tal experimentar?

Com pessoas paradas, e veículos em movimentos, cria-se uma ótima oportunidade para a fotografia em baixa velocidade! Basta para isso uma condição de pouca luz, como o final do dia ou a noite.


Distraída, por Yuri Bittar - Aluna distraída fotografando a 23 de Maio

Como fazer? Coloque uma velocidade baixa, como 2 ou 5 segundos, abertura pequena, como f8 ou f32 (dependendo da câmera) apóie a câmera num local firme, como um tripé ou numa mureta, use o disparador automático, para não tremer a câmera. Terá algo como a foto abaixo.

Para quem não tem uma câmera que permita escolher a velocidade, não tem problema! Escolha um horário e local com pouca luz, deixe-a no automático mesmo, DESATIVE O FLASH, e ela vai se adaptar à luz, baixando a velocidade. Se quiser que fique mais lento, use os modos, como o de “fogos de artifício” por exemplo, e veja os que “borram” mais a imagem. Algumas dessas câmeras pelo menos mostram que velocidade estão usando, o que já te ajudará a entender o processo.


Crepúsculo Paulistano, por Yuri Bittar - 20h no horário de verão.

Aqui eu juntei 2 fotos, usei a Sony H50, com velocidade de 2s e abertura f/8.0.

Com a câmera em baixa velocidade, o mundo dispara e as luzes explodem! Se você prestar atenção, a vida é assim, se diminuirmos o ritmo de vez em quando, percebemos que há muito mais para ser visto ao nosso redor, e uma paisagem comum e sem graça pode se revelar interessante...


De noite em Sampa, por Yuri Bittar

Para fazer fotos em baixa velocidade, como esta acima, é preciso estabilizar a câmera. Como não carrego tripé, acabo colocando a câmera no chão mesmo, ou em cima de algum muro, lixeira, pedra, enfim, o que estiver pelo caminho. Então surgem esses ângulos, que me agradam. Esta foto tem algum interesse pois reflete um pouco do clima da caminhada, um grupo de gente "doida" caminhando por ruas praticamente desertas do centro da cidade! Foi realizada durante a Caminhada Noturna pelo Centro, que acontece toda quinta-feira, das 20h às 22h. O ponto de encontro, para todos interessados em participar, acontece na entrada do Teatro Municipal, com final no mesmo local. A promoção desse evento é de Carlos Beutel, do Restaurante Vegetariano Apfel (www.apfel.com.br) com participação da galera do www.flickr.com/groups/clicksparte.


A garota da luz, por Yuri Bittar

Mais uma foto em baixa velocidade, ou longa exposição, com a câmera no chão! E porque fotografei em baixa velocidade? Usei a velocidade 1/6s e ISO 200, pois a luz era fraca, estava escuro, e eu não usei flash para não apagar essa iluminação local que achei bem interessante, com a luz filtrada por um vitrô. Também não "puxei" mais o ISO, para 800 por exemplo, o que me daria mais velocidade, mas também teria mais ruído. Claro que tive que pedir para a aluna/fotógrafa ficar bem paradinha! Outro motivo para fotografar assim, com a câmera no chão, é que assim criamos um ângulo bem diferente, inusitado, e por isso possivelmente belo e chamativo! Essa foto foi feita durante a aula de fotografia da Vanessa, na ABRA, e a fotógrafa é uma das alunas dela.


A “marvada”, por Yuri Bittar

Aqui usei uma câmera DSLR, ou seja, uma reflex digital (Canon EOS Rebel XS) e fiz o que se chama de “light painting”, ou pintura com a luz. Como fazer: - Baixa velocidade (10" por exemplo) - Diafragma fechado (f11 ou f16 por exemplo) - Sala no escuro quase total - Lanternas - Câmeras no tripé ou apoiadas na mesa.

Mais exemplos:


A luz pede passagem, por Yuri Bittar

Entre o dia e a noite, temos a famosa LUZ AZUL, como vemos no céu dessa foto!


Do chão não passa, por Yuri Bittar - 19/10/2010 Projeto Rua Augusta, Lado B/Lado A


Luzes do Paraíso, por Yuri Bittar

Nada que 7s não resolvam... Fiz essa foto com longa exposição, 7 segundos. Nesse caso apoiei a câmera no chão, e usei o timer (disparador) para não mexer nela enquanto a foto era feita. Usei uma câmera compacta, do tipo bridge. Foto realizada durante a 23ª Saída Fotocultura – Noturna na 23! Em São Paulo, bairro Paraíso, 27/10/2011, com Yuri Bittar.


Luz da Liberdade, por Yuri Bittar - Viaduto da Liberdade São Paulo SP – Brasil

Aqui vemos a diferença ao usar várias velocidades. 3s na foto de cima, 1s, e 1/5s. Fotos feita com a Canon PowerShot A470 (compacta automática).

Em resumo, o importante é sempre estabilizar a câmera, e experimentar várias velocidades! Agora divirta-se!





Autor

Yuri Bittar

Designer, fotógrafo e historiador. Mestre em Ensino em Ciências, na Universidade Federal de São Paulo, graduado em Desenho Industrial (Mackenzie) e História (USP), atua como designer gráfico, desenvolve cursos de fotografia, exposições e as saídas Fotocultura, além de pesquisas sobre humanização no ensino da saúde. Através da história oral, da fotografia, da literatura e outros recursos, tem buscado criar projetos mais próximos ao humano.

Website pessoal: http://www.yuribittar.com


Últimos Publicados
Próximos Cursos
  • Nenhum curso agendado no momento.
Associe-se FCSV é uma associação sem fins lucrativos que visa agrupar fotógrafos amadores e profissionais em torno de discussões teóricas, saídas fotográficas práticas e procuramos oferecer meios de melhorar o conhecimento na área, através de cursos, palestras, workshop e oficinas. Inevitável fazer novos amigos que juntos fazem o que gostam que é fotografar. Saiba mais
Apoio SECULT
Secretaria de Cultura de São Vicente







ILHA PORCHAT CLUBE



Filiado a CONFOTO - Confederação Brasileira de Fotografia.
© 2017 - Todos os direitos reservados ao Foto Clube São Vicente - O FRAME.

Textos e imagens não poderão ser reproduzidos sem prévia autorização.

Desenvolvimento, administração e hospedagem.